Caculé: Feriado municipal marca aniversário de morte de Miguel Fernandes

Intelectus

Feriado de 06 de novembro homenageia um dos mais ilustres caculeenses, morto há 48 anos.

imagesEmbora ecoe aos ouvidos dos mais jovens como algo não muito familiar, o nome Miguel Fernandes, carinhosamente chamado de “Miguelzinho” pelos seus contemporâneos, representa e personifica uma boa, expressiva, importante e fundamental parte da historia na nossa cidade.

Um político nato, um empreendedor sagaz e um caculeense ávido por coisas novas, Miguel Fernandes projetou o nome da nossa Caculé em cenário estadual e nacional como talvez nenhum outro caculeenses tenha feito, se tronando assim o maior nome na história política de Caculé.

Um pouco da sua história

Nascido em 6 de junho de 1915, filho do comerciante Antônio Norberto Fernandes e de Dona Ana Maria Maciel Fernandes, começou a trabalhar como ajudante da loja de tecidos e miudezas de seu pai; depois trabalhou no serviço postal de Caculé e Monte Azul (MG) até se tornar comerciante, industrial e pecuarista. Fundou a “Bahia Construtora Ltda.” e a “Construtora Fernandes”. Cursou o Primário e o Colegial em Caetité (BA) e, mais tarde, casou-se com Dona Cacilda de Castro Fernandes, com quem teve cinco filhos.

Entre as obras de Miguel Fernandes como prefeito está a construção do Cine Teatro Engenheiro Dórea.

Entre as obras de Miguel Fernandes como prefeito está a construção do Cine Teatro Engenheiro Dórea.

Na política, tornou-se Prefeito de Caculé entre 26 de setembro de 1941 e 16 de março de 1947 e 22 de fevereiro de 1951 e 6 de abril de 1955. Nesse intervalo elegeu-se deputado estadual Constituinte pelo PSD (Partido Social Democrático), entre 1947 e 1951. Sua primeira grande realização em Caculé, como Prefeito, foi o calçamento da Avenida Antônio Muniz. Os grandes equipamentos construídos no passado em Caculé foram resultados do trabalho de Miguel Antônio, como a construção dos prédios da Prefeitura, dos Correios, da Igreja Matriz, do Colégio Norberto Fernandes e do Cine Teatro Engenheiro Dórea.

Miguel Antônio faleceu no dia 6 de Novembro de 1966. Talvez a maior definição de Miguel Fernandes tenha sido formulada pelo escritor José Alves Fróis, em seu livro Caculé de Miguelzinho. “Há homens cuja existência significa uma época, Miguel Fernandes foi uma dessas existências”.

One Comment

  1. LUCIANA APARECIDA QUEDAS TEIXEIRA
    7 de novembro de 2017

    Gostei de saber um pouco desse “Miguelzinho” que foi capaz de provocar um feriado em sua homenagem.
    Ele fez grandes feitos a essa cidade, e certamente está possui até os dias de hoje rastros de seu perfil que buscava inovação, espaço e avanco !

    Responder

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *